Escritores comentam sobre a variedade linguística

Importantíssima entrevista com Marcelino Freire e Cristóvão Tezza, em maio de 2011, para o programa Entre Aspas (Globo News), em que os dois reconhecidos escritores contemporâneos rechaçam a posição estreita e conservadora que as mídias  têm em geral em relação ao uso e ao ensino da Língua Portuguesa no Brasil.

Vale a pena conferir.

Anúncios

90 de 22 (3) Oswald de Andrade, por Antonio Candido, na FLIP de 2011

Antonio Candido, um dos maiores intelectuais brasileiros, produziu vários estudos sobre Oswald de Andrade, explorando tanto a vida quanto a obra do autor, destacando aspectos curiosos sobre o excêntrico e polêmico poeta com quem conviveu e de quem foi amigo.

Abaixo, breves depoimentos colhidos pela reportagem do Estadão durante a FLIP DE 2011, que teve Oswald de Andrade como homenageado.  São palavras sinceras e afetuosas de alguém que viveu (além de estudar) um dos processos mais significativos da história de nossa cultura: o Modernismo.

Entrevista com Milton Hatoum

Milton Hatoum, importante escritor brasileiro contemporâneo, nasceu em 1952 na cidade de  Manaus, terra que, com a leitura de Dois irmãos (2000),  tenho a impressão de conhecer intensamente – em seus cheiros, cores e temperaturas.

Dois irmãos é uma obra imperdível, talvez um dos melhores romances brasileiros dos últimos anos, um livro forte, marcante, que aborda a vida familiar no que ela tem de delicado e – sobretudo – no que tem de mais violento.

Escolhendo uma perspectiva singular – a vida dos imigrantes libaneses em Manaus -, a narrativa acompanha a história do Brasil do começo do século XX até os anos 60 e  tem como eixo central a relação de ódio atávico entre os irmãos gêmeos Yaqub e Omar.

Abordado já magistralmente por Machado de Assis em seu Esaú e Jacó, o velho tema dos gêmeos rivais retorna com outro fôlego entre nós, sob uma perspectiva toda especial. Dois irmãos é um estudo da cultura árabe e um passeio pelo Norte do Brasil, mas é acima de tudo um ensaio sobre a alma humana, suas paixões e suas misérias.

Reproduzo abaixo uma interessante entrevista, na qual Hatoum conta um pouco de seu percurso como escritor e comenta alguns aspectos particulares à atividade literária. Algumas de suas palavras, creio, servem mesmo de conselho para jovens escritores.